Mensagens

Mensagem em texto

O GOSTO É O REGALO DA VIDA!

Tema: ATUALIDADES
Rev. Janderson
Igreja Presbiteriana Monte Sião - IPMS 49689 Clique(s) 32 mensagens 2034 Voto(s)



Esta
frase hoje não é popular, talvez não seja nem conhecida do povo de Deus e
principalmente dos mais jovens, na verdade significa que o que desejamos para
nossas vidas na maioria das vezes é aparentemente o que nos dará prazer e
descanso em alguns casos. Quero pensar um pouco sobre a vida de Moisés e como
em alguns momentos ele teve esta sensação, de que suas preferências e decisões
supostamente lhe trariam prazer e paz. Vejamos alguns pontos que reforçam esta
tese: 1. Moisés foi privilegiado desde o nascimento – Nasceu
debaixo de ameaças a Bíblia nos diz que era uma criança bonita, logo também
amada por seus pais e certamente motivo de medo e pavor, pois no Egito onde
viviam seus pais havia um decreto do Faraó que como lei exigia a morte de todo
recém-nascido do sexo masculino e que pertencesse a descendência dos hebreus
como era o caso da família de Moisés deveria ser morto. Faraó sentia-se
ameaçado com o crescimento exagerado desta nação hebréia, que ocupava um
território privilegiado no Egito. Mas como Deus está no controle de tudo e
possuía um plano para vida daquela criança e daquele povo, de uma forma
espetacular Moisés acaba sendo adotado e criado pela filha de Faraó e recebeu
todos os cuidados que um príncipe poderia receber, não morreu e nem sofreu dano
algum, pois Deus separa privilégios aos que o amam.



2.
Moisés teve decepções na vida

Moisés foi criado na corte egípcia e recebeu a educação mais apurada que alguém
naquele tempo poderia receber, aprendeu tudo que era necessário para que alguém
da família real pudesse transitar com liberdade e respeito na corte. Porém
Moisés pode manter contato com sua verdadeira mãe e soube a historia de seu
verdadeiro povo, os hebreus, e em um belo dia começa a crescer dentro do seu coração
uma certa revolta, um indignação a respeito do tratamento recebido pelos
hebreus que agora eram tratados como escravos e serviam apenas de sinal de
ameaça ao império egípcio. Foi difícil para ele conciliar o amor aos egípcios
em detrimento aos flagelos sofridos pelos hebreus, afinal tratava-se de sua
gente. Em uma de suas andanças pelos arredores da grande potência egípcia,
Moisés vê um soldado egípcio maltratar um hebreu, pois estes eram escravos, ele
não teve dúvidas e repreendeu aquele soldado a tal ponto que acabou cometendo
um crime e matando o mesmo enterrou-o. Dentro de si não restava outra
alternativa senão fugir, buscar novos horizontes e esquecer o que havia
acontecido, enterrar o passado, mas geralmente problemas não resolvidos acabam
nos enterrando aos poucos, decepções não compreendidas nos assolam, maltratam e
adoecem. 3. Moisés experimentou o relacionamento com Deus.  – A fuga de Moisés é tanto exterior como
interior, indo para uma região desértica Moisés conhece uma família e começa a
viver em Mídia, logo casa-se com uma das filhas de Jétro, chefe da família que
conhecera, parece que segundo o coração de Moisés estava tudo resolvido, pois o
que os olhos não vê o coração não sente, mas o que estava sendo esquecido é que
existe um Deus que possui planos e estes são perfeitos, mesmo que nós não
saibamos disso. Em uma de suas tarefas agora como pastor de ovelhas lá no
deserto de Mídia, Moisés presencia uma manifestação do poder de Deus, que do
meio de um arbusto em chamas fala com ele e o convoca para uma grande tarefa,
voltar justamente para o Egito e executar ali seu plano, os decretos de Deus
verdadeiramente se cumprem no tempo exato. Neste momento Moisés luta,
argumenta, tenta fugir da responsabilidade, pois afinal de contas havia muitas
pessoas mais bem preparadas do que ele, e como poderia um fugitivo, assassino,
retornar ao local do crime? Deus cumpre seu propósito, envia Moisés para o
Egito onde ele enfrentou muita luta e teve que lutar principalmente contra o
seu coração, aprender que nem sempre as nossas predileções nos levam ao caminho
da segurança e principalmente ao desejo do coração de Deus. Moisés aprendeu
sobre o “regalo da vida” e entendeu que somos mais do que um coração que elege
preferências, como se soubéssemos o que realmente é melhor para nós. Deus sabe
o que é melhor para todos nós. O gosto é o regalo da vida somente quando
estamos no centro da vontade de Deus, somente teremos paz, alegria e
consciência tranqüila se obedecermos a Deus, isto sim nos leva ao regalo da
vida, pois obedecer a Deus é melhor do que qualquer sacrifício. Nossos desejos,
vontades e decisões devem passar por este critério.



Rev.
Janderson Silva



 



Compartilhar

Avaliação: 7.0/10 (73 votos)

Desenvolvido por