Mensagens

Mensagem em texto

A GRATIDÃO ( I Tess. 5.18)

Tema: Vida Cristã
Mauro Sergio
Igreja Presbiteriana de Mogi das Cruzes 1768 visitas 3 mensagens 20 votos

( I Tess. 5.18)

“Não há no mundo exagero mais belo do que o da gratidão”.

Jean Petit-Senn

Há uma porção nas Escrituras Sagradas que me intriga quando a questão é gratidão. O leitor que está familiarizado com a Bíblia, deve estar lembrado daquela passagem na qual dez leprosos gritam para Jesus pedindo que o Mestre dos Mestres tivesse misericórdia deles. (Lucas 17.11-19)

Jesus atende seus rogos e manda que eles se apresentem ao Sacerdote, já que, no contexto religioso social dos judeus, era o Sacerdote quem tinha que atestar a cura dessa enfermidade, o que lhes possibilitaria um retorno ao convívio normal com as demais pessoas. Todos se dirigem de pronto ao Sacerdote, com essa tarefa. Daqueles dez leprosos, apenas um retornou para agradecer. Jesus mesmo inquiriu:“......: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove?”(Lucas 17:17)

Esopo dizia que“a gratidão é a virtude das almas nobres”.É mesmo a mais pura verdade. A gratidão revela o quão nobre e digna é a nossa alma e, por outro lado, por uma inferência da lógica, mostramos o quão pobre é nossa alma, quando, após ter recebido um benefício, esquecemos de agradecer. Lin Yutang disse:“Quando beberes água, pensa na fonte”.

Certo dia, o famoso e querido Pastor Edgar Martins, uma das vozes mais maravilhosas que encantou nossa vida com os belos hinos que cantou, relatou-me uma história comovente sobre esse tema: a gratidão.

Falava-me ele do quanto era grato a Deus, por ter alcançado uma certa idade, apesar de ter passado por circunstâncias nada agradáveis em sua saúde. Nessa nossa conversa ele me confidenciou que, certa vez, havia sido convidado para ir à África, mais precisamente a Angola. Lá chegando ficou maravilhado ao ver e ouvir um Coral cantando aqueles belos hinos que ele mesmo havia cantado durante muitos anos. Ocorre que lá, em Angola, ele foi acometido de cólera e não havia quem dele cuidasse. Uma médica disse que poderia hospedá-lo, mas que alguém devia cuidar dele porque ela não poderia fazê-lo devido aos seus afazeres. Assim, certo homem de 31 anos de idade, irmão em Cristo, se incumbiu dessa tarefa revelando grande prazer.

O Pastor Edgar Martins, aconselhado pela médica, passou em um supermercado e comprou aproximadamente trinta e seis litros de água mineral de origem brasileira e foi para a casa daquela médica, sob os cuidados do irmão que se dispusera para essa tarefa. Acontece que depois de já ter consumido quase toda água, uma coisa o inquietava: todas as vezes em que ia beber água, observava os olhos daquele homem e via que brilhavam. Parecia desejar de toda alma, um gole daquela água. Assim sendo, em dado momento ofereceu água nos seguintes termos:

- Você não quer beber um pouco dessa água?

O homem então, admirado, lhe perguntou:- Será que eu poderia beber um pouco?

– Sim,disse o Pastor Edgar Martins, você pode beber. Fique à vontade. Coloque em um copo e beba, querido irmão.

O homem então encheu um copo, com os olhos brilhando. Parou, olhou e perguntou:- Posso orar?

- Sim, disse Edgar Martins. Pode orar e beba.

Aquele homem, então, se dirigiu ao canto da casa, se ajoelhou e orou: - Pai, quero agradecer ao Senhor porque reservaste este dia, desde a eternidade para que nele, pela primeira vez, eu pudesse beber meu primeiro copo de água limpa.

Cada gole era precedido por uma palavra de gratidão e louvor.

Prezado leitor, espero que ao ler este relato, você olhe para tudo aquilo que Deus tem lhe proporcionado, e perceba que mesmo que tenha muitas lutas, ainda assim, o Senhor tem dispensado seus providentes cuidados.

Espero, também, que você possa reconhecer que na oração que fazemos a Deus, devemos sempre começar com uma atitude que denote o quão gratos somos pelas bênçãos já recebidas, antes de pedirmos mais. Antes de pedir.....lembre-se de ser grato pelo que já tem.Oremos assim:“Senhor, vós, que tanto já nos destes, dai-nos uma coisa mais: um coração agradecido”.George Herbert

Enfim, podemos exagerar quando se tratar de demonstrarmos, a Deus ou mesmo ao nosso próximo, como somos gratos. Sempre quando formos tentados a murmurar, devemos nos lembrar, de coração, que o melhor mesmo é agradecer. A gratidão é a memória do coração, e a memória do coração nunca falha.

 

Compartilhar

Avaliação: 4.5/10 (20 votos)

Desenvolvido por